No Walmart, Advent deve ampliar atacarejo e lojas de vizinhança

Depois de concluir a aquisição de 80% da operação do Walmart Brasil, a empresa de private equity Advent International deverá acelerar a expansão do formato de “atacarejo” e apostar nos modelos de loja de vizinhança, afirmaram analistas de investimentos ouvidos pelo Valor. A estratégia fará parte do fortalecimento da operação da rede americana no país, que está bastante enfraquecida.

A empresa americana não conseguiu integrar a série de aquisições regionais feitas nas últimas décadas, resultando em uma série problemas operacionais que aumentaram durante os últimos anos de crise econômica, ponderou Alexandre van Beeck, sócio-diretor da GS&Consult. Foram compradas as redes como Sonae e Bompreço.

No primeiro momento, o Advent deverá concentrar esforços para reduzir os custos da companhia. “Vão fazer um choque de gestão, provavelmente trazendo um executivo de mercado para comandar a operação e fazendo integrações importantes entre as divisões física e on-line, algo que já está sendo feito em outros países emergentes”, lembrou o consultor.

O Walmart, que ficará com os 20% restantes das ações, já opera com a rede Maxxi Atacado no país, mas essa operação não possui a mesma representatividade que Assaí tem no GPA ou o Atacadão no Carrefour. “A empresa teve muitos erros de execução estratégica ao acelerar a abertura de lojas e, depois, com o desempenho abaixo do esperado, precisou reduzir o número de pontos de venda”, disse um analista que preferiu manter o anonimato.

Em 2017, a bandeira Assaí obteve faturamento bruto de R$ 20,1 bilhões, avanço de 28% em base anual e de 11,4% no conceito mesmas lojas, que considera as unidades em funcionamento há 12 meses. Esse montante representou 41,3% das vendas da divisão de alimentos de alimentos do GPA, um aumento de 6,4 pontos percentuais (pp) ante 2016.

No Carrefour Brasil, a marca Atacadão registrou vendas brutas de R$ 34,088 bilhões, crescimento de 8% ante 2016, sendo que o consolidado da companhia, excluindo gasolina, atingiu R$ 49,653 bilhões, incremento de 7,2%. As operações de “atacarejo” das duas maiores varejistas do país cresceu de forma rentável, apesar da deflação dos alimentos no período.

As prioridades de expansão tanto do GPA quanto do Carrefour estão no negócio de atacado. O Assaí encerrou o ano passado com 126 lojas, sendo que 20 aberturas, das quais 15 foram conversões de Extra Hiper, que já registraram crescimento no faturamento de aproximadamente 2,5 vezes, e cinco orgânicas. O Carrefour, por sua vez, totalizou 169 unidades no ano passado, com expansão de 12 pontos de venda.

Na avaliação do sócio-diretor da GS&Consult, existe a possibilidade de o Advent acelerar a conversão de lojas de supermercados e hipermercados do Walmart para a bandeira Maxxi, assim como já fazem os rivais da varejista.”Será preciso rever o papel dessas grandes lojas para aumentar a rentabilidade por metro quadrado. A oportunidade para o fundo é interessante, pois o Brasil está começando a sair da recessão e um player bem estruturado ajuda a desenvolver o mercado”.

Um analista de investimentos ouvido pelo Valor afirmou que a empresa de private equity precisará definir uma proposta para lojas de vizinhança, que também estão crescendo no varejo brasileiro. O Carrefour tem o formato “Express”, enquanto o GPA tem os modelos para as bandeiras Extra e Pão de Açúcar, para as classes A e B. No Brasil, o Walmart tem oformato “Todo Dia”, desenhada para competir nos bairros e nas cidades do interior. São 180 lojas em funcionamento.

“O Advent tem um histórico vencedor nas empresas em que comprou participação. Um exemplo é a Kroton Educacional, que teve margens ampliadas, ajudando na valorização das ações. Portanto, as expectativas com essa transação são positivasA concorrência no setor supermercadista deverá ser amplia”, disse o analista. Atualmente, no setor de educação, o fundo é acionista da Estácio Participações.

Segundo os analistas, ainda é cedo para prever os impactos dessa aquisição no varejo de supermercados, pois serão necessários tempo e investimento para uma “reviravolta” no Walmart Brasil.

Matéria publicada no Valor Econômico Por Alexandre Melo | Valor

http://www.valor.com.br/empresas/5568573/no-walmart-advent-deve-ampliar-atacarejo-e-lojas-de-vizinhanca